fbpx

Nosso blog

Inspire-se nas nossas dicas para o seu filho!

Os Muitos Sintomas da Gravidez

Mulher grávida

Muitas vezes sentimos coisas “estranhas”. A não ser que estejamos tentando ou fazendo algum tratamento de fertilidade, não pensamos que estes sintomas são sinais de que estamos grávidas.

É bem verdade que a vontade de ficar grávida e a ansiedade nos fazem passar por diversas sensações. Mas quando escrevi o livro Pedro ou Beatriz?, percebi nas entrevistas que há muita coisa em comum entre as gestantes nestes primeiros dias de gravidez.

Resolvi compartilhar aqui neste post alguns dos sintomas mais comentados. Acredito que podem ajudar algumas mamães a descobrirem se suas sensações podem ser um aviso do corpo sobre uma grande mudança que virá por aí.

E quais são os principais sintomas?

  • O primeiro sintoma, mais conhecido, assunto batido, mas que eu não poderia deixar de falar é o atraso da menstruação. Apesar deste ser o “carro chefe” entre os sintomas, muitas mulheres menstruam quando já estão grávidas. Portanto, consulte um médico se você sentir outros sintomas, mas continuar menstruando;
  • Inchaço dos seios (muitas mulheres adoram este sintoma!). Isso acontece porque o corpo da mulher já começa a se preparar para a amamentação;
  • Escurecimento dos mamilos. Isso acontece por causa do aumento do fluxo sanguíneo. Além de escuros, os mamilos podem ficar extremamente sensíveis e doloridos;
  • Conseguimos ver nossas veias (pode ser nas mãos, pés ou braços);
  • Vontade de fazer xixi toda hora. Algumas mulheres que entrevistei tem sempre este sintoma no período pré-menstrual, por isso foram “enganadas” e não desconfiaram da gravidez;
  • Você pode ter um corrimento vaginal cor de rosa. Esse corrimento não é perigoso. Se trata do corrimento normal da mulher, misturado com um pouco de sangue causado pela entrada do espermatozoide no óvulo;
  • Alteração no paladar. Muitas mulheres passaram a evitar café, temperos ou alimentos com sabores fortes (e não sabiam que esta mudança tinha uma linda causa);
  • Cólicas e inchaço (aqui é bem fácil confundir com a tensão pré-menstrual). Esse inchaço é logo percebido por conta do aumento do fluxo sanguíneo na região pélvica;
  • Tontura;
  • Salivação excessiva, também conhecida como ptialismo ou sialorreia. Na verdade, todas as secreções do corpo aumentam – suor, corrimento, lágrima;
  • Sangramento da gengiva. Acontece por causa das mudanças hormonais, e atinge principalmente as mulheres que já possuem uma predisposição a ter gengivite;
  • Dores de cabeça;
  • Enjoo e vomito;
  • Sensibilidade a cheiros;
  • Ronco;
  • Coceiras. É muito importante manter a pele hidratada, já que o aumento da transpiração pode facilitar erupções na pele;
  • A parte de baixo do umbigo pode ficar dura (isso acontece geralmente após a 7ª semana de gestação;
  • Cansaço excessivo. Imagine quanto o seu metabolismo muda para promover o desenvolvimento do bebê! O ideal é conseguir dormir 10 horas por noite;
  • Aumento da oleosidade da pele;
  • Prisão de ventre. É um sintoma bem forte, que atinge quase todas as gestantes, já que a progesterona reduz o trânsito intestinal;
  • Flatulência. Também acontece pela diminuição dos movimentos do trato digestório;
  • Desejos estranhos. Esse sintoma de fundo emocional se chama “pica” e é mais comum no comecinho da gestação;
  • Aumento da libido. Apesar de muitas gestantes não se interessarem por sexo durante a gestação por diversos motivos (cólica, alteração de humor, sensibilidade nos seios, etc), a estimulação do ovário, produzido pela testosterona em excesso, pode aumentar o desejo sexual da mulher;
  • Inchaço da vulva. Também ocorre devido ao aumento do fluxo sanguíneo;
  • Por fim, muitas mulheres tiveram alterações no seu comportamento, mesmo antes do atraso da menstruação. Elas relataram sono (às vezes incontrolável), cansaço e aumento da sensibilidade (mais ou menos como uma TPM) e grandes alterações de humor (fruto das alterações hormonais).

Estes são só alguns dos diversos sintomas que uma grávida pode ter. Entretanto, não podemos deixar de falar que muitas não sentiram NADA e só descobriram que estavam gerando um bebê alguns meses depois. Cada mulher é única, assim como cada gestação. Uma mesma mulher pode engravidar mais de uma vez e os sintomas podem mudar de uma gestação para outra.

Testes de farmácia são muito eficazes. Se você suspeitar que está grávida, faça logo um teste para tirar a dúvida. Afinal, se você estiver grávida, muito planejamento será necessário daqui para frente! Mas é claro, o melhor é sempre procurar o seu médico para fazer os exames necessários e começar o pré-natal desde cedo.

Se prepare para a chegada do bebê e para a gestação. Muitas vezes achamos que não, mas 40 semanas passam muito rápido!

Existem muitos assuntos importantes que certamente vão te ajudar se você tiver a informação correta.

Se informe sobre o pré-natal, faça seu plano de parto (que é uma forma de comunicação muito eficiente entre os pais e os profissionais de saúde que acompanharão aquela família), veja quais são as suas melhores opções, o que funciona bem para sua família. É importante que você esclareça todas as suas dúvidas, saiba se o que você está sentindo é normal e se planeje para o tipo de parto que queira ter.

A partir de 5 semanas o médico já pode fazer um ultrassom para observar se a gestação está dentro do útero e como está o saco gestacional.

Se esse exame não for feito em 5 semanas, entre a 8ª e a 13ª semana, certamente seu médico pedirá para fazer. Com esse exame é possível saber a idade gestacional, verificar se está tudo ok com a gestação e prever a DPP (data provável do parto – 40 semanas).

O melhor trimestre da gestação para fazer todos os preparativos necessários para receber o bebê costuma ser o segundo trimestre.

Os principais incômodos amenizam e a mulher ainda não está muito inchada devido ao ganho de peso. É bem comum que no primeiro trimestre a mulher sinta mais enjoo e cansaço, apesar que algumas gestantes podem ter esses sintomas até o final da gravidez.

Muitas inclusive conseguem fazer exercícios físicos no segundo trimestre (sempre com orientação e liberação do médico) e cuidam bastante da alimentação, o que certamente fará toda diferença na sua qualidade de vida durante esse período tão mágico.

No terceiro trimestre é bastante importante se preparar para os 3 primeiros meses de vida do bebê. É um período onde ele passará para adaptação fora do útero, também conhecido como exterogestação.

Seu bebê precisará de bastante atenção nestes primeiros 90 dias de vida. Se você puder, tenha ajuda principalmente nos primeiros dias pós nascimento. Por mais que estejamos felizes de ter o nosso bebê nos braços, nem sempre a adaptação com o mais novo membro da família é fácil.

Ter informação de qualidade faz toda diferença, já que muitas mães, especialmente as de primeira viagem, ficam perdidas, sem saber o que é certo, o que é esperado e como lidar com os desafios dessa fase.

Existem dois assuntos muito especiais, onde muitas famílias passam por dificuldades – a amamentação e o sono.

Nós sugerimos a amamentação por livre demanda nesse início de vida do bebê. Lembre-se que a capacidade do bebê de armazenar leite é muito pequena, ele ainda está com o corpo em desenvolvimento, então pode precisar de alimento em intervalos curtos. E isso pode acontecer tanto de dia como de noite.

Sobre o sono, geralmente bebês recém-nascidos dormem bastante, mas em intervalos curtos. Aproveite para descansar quando ele dormir.

Esqueça um pouco as outras obrigações, peça ajuda, se dê esse direito!

Para ajudar as mães nesse começo de vida, fizemos um ebook gratuito, com informações incríveis sobre o sono dos bebês de 0 a 3 meses. É só clicar, e baixar.

Além disso, para que você passe pela chegada do bebê com mais tranquilidade ainda, temos um curso online, voltado para bebês de 0 a 3 meses. Você receberá várias informações por meio das vídeo aulas e materiais escritos, mas você também terá o nosso apoio pessoal, já que todas as dúvidas podem ser mandadas por e-mail ou pela plataforma de estudos pelo período de 4 meses.

Então apesar de ser um curso online, você terá uma ajuda personalizada, para falar do seu bebê, das suas dificuldades e anseios pessoais. O curso ainda te dá direito a 30 minutos de conversa por Skype ou telefone com uma de nossas consultoras de sono para que você converse exclusivamente do sono do seu bebê.

Você já passou por isso? Teve outros sintomas além dos que nós listamos aqui? Em que trimestre da gestação você está?

Conte aqui nos comentários e compartilhe com outras gestantes como foi sua experiência!

Tem alguma dúvida? Comente!

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


Todos os direitos reservados à Maternity Coach. CNPJ 25.462.996/0001-88 • Mantido por FAPNET
Fale no WhatsApp